Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

25/12/2013 18:21

'Sonho acabou', diz mãe de menino morto por bala perdida em MS

G1

"Ele queria estudar para ser advogado, poder comprar uma casinha para morarmos, arrumar o quartinho dele do jeito que queria, com uma televisão, um videogame e uma bicicleta. O sonho acabou ali no chão". A frase é da dona de casa Elaine Cristina Garcia Lucas, 35 anos, mãe de Matheus Garcia Cabral, 11 anos, morto após ser atingido por uma bala perdida, no domingo (22), em Campo Grande.

O crime aconteceu no Parque do Sol. O menino estava perto de casa quando foi atingido. Testemunhas viram duas pessoas correndo pelo local, uma delas perseguia e atirava na outra e um dos disparos acertou o garoto. A polícia investiga o caso e procura pelo suspeito.

Elaine se diz inconformada com a morte. “Ver seu filho, uma criança de 11 anos, jogado no chão, é horrível. A única coisa que eu quero é justiça. Nós nunca imaginamos que uma coisa dessas vai acontecer com a gente. Quem fez isso com ele está solto, rindo. Isso não pode ficar assim”, afirma.

A dona de casa contou que o filho era um garoto comportado, que gostava de jogar bola e brincar. Ela lembra que estava na casa de uma vizinha quando o crime aconteceu.

“Ouvi o tiro e, quando saí, ele já estava caído no chão, sangrando pela boca, pelo nariz”, lembra.

Ela conta que teve dificuldades para criar Matheus e se orgulha da educação e dos ensinamentos que passou ao garoto enquanto ele estava vivo. “Meu coração está leve porque tudo o que eu pude fazer eu fiz por ele. Aos trancos e barrancos passei para ele em vida tudo o que eu deveria passar como mãe”, diz emocionada.

“Queria que todas as mães cuidassem dos seus filhos também porque depois que os perdem, não tem mais o que fazer.

A mãe desse rapaz que matou o meu menino não deve ter ensinado para ele o que é certo e errado", pondera.

Apesar da tristeza, Elaine diz que se sente confortada em saber que o filho está em paz. “Ele está melhor do que eu agora porque está lá com Deus”, fala.

Outra lembrança que a mãe tem é de um convite que o menino teve dias antes de morrer. Uma tia dele o havia chamado a passar o Natal com ela em uma fazenda, mas como no bairro sempre há voluntários levando doações de presentes, Matheus recusou. “Ele falou que ia depois de ganhar os presentes que ele queria, mas não deu tempo de nada disso”, completa.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)